Nas relações interpessoais do convívio cotidiano e do trabalho, o autoconhecimento é uma qualidade importantíssima. O advogado tributarista que lida com questões jurídicas árduas e precisa contar com o apoio dos funcionários do escritório nos trabalhos, o engenheiro que necessita de um grupo coeso para concluir uma obra no prazo certo, o arquiteto, o administrador, todos precisam da auto compreensão para resolver problemas internos com inteligência sem entrar em conflitos desnecessários, o que provocaria quedas no rendimento. Conhecer a si próprio proporciona a chance de reavaliar atitudes e partir para a ação de maneira convicta.

O líder deve ser tolerante

Em todas as instancias da vida a tolerância é um predicado de valor inquestionável. Colocar-se no lugar do outro é entender que ele (sempre) está num momento psicológico diferente de todos, – por mais que o humor demonstrado no dia a dia seja parecido com o seu, ele é uma pessoa diferente, com personalidade diferente – e desenvolve o trabalho de uma maneira específica. É óbvio que as exigências profissionais devem ser atendidas, e tarefas devem ser concluídas no cronograma cobrado, mas cabe ao líder respeitar a individualidade dos seus funcionários na hora de contatá-los.

Trabalhar em equipe demanda competência em lidar com adversidades, habilidade em saber ouvir e entender opiniões diversificada, tendo capacidade em compreender as competências de cada funcionário para trata-los de maneira diferente sem que haja racha entre grupos. Não é algo fácil, mas com a valorização do autoconhecimento será viável garantir esse expertise.

Cobranças sim, desrespeito jamais

Algumas divergências contundentes são comuns quando se busca alcançar bons resultados na empresa. Todavia, numa empresa com um líder competente, centrado, e inteligência emocional aprimorada as disputas internas motivadas por egos, ruídos internos, ou qualquer outro motivo serão diminuídas a máximo, ou, na melhor das hipóteses, extintas. O profissional que conhece a si próprio estará preparado para ajudar ao colega, e cobrar por resultados, mas sem impor medo.

Deixe seu comentário!